Meus pensamentos não são como os vossos pensamentos

LITURGIA – 25º DOMINGO COMUM.

21.09.2014.

10645299_752698358111535_7447493483291392934_n (1)

(foto. Salto Grande – Pe. Alex convida a Comunidade a participar ao Curso Biblico) 

1.Acolhida.

Somos um povo convocado por Deus para ouvir sua Palavra. Não viemos à igreja por decisão pessoal ou para cumprir uma obrigação religiosa – Somos convocados pra ouvir a proposta de Deus: “Eu sou a salvação do povo (…) Eu ouvirei seu clamor e serei seu Deus para sempre!”

      Recordemo-nos que Setembro é o mês dedicado à Bíblia! Não passemos um dia se quer sem ler e meditar um pequeno texto bíblico. Ele é fonte necessária e providencial para o peregrino nos caminhos de Deus.

2.Palavra de Deus.

   Is 55,6-9 – O tempo favorável para ouvir a Palavra de Deus é agora; ainda é tempo para corrigir nossos pensamentos e adequá-los ao pensamento de Deus. Ele é Senhor e Mestre!  Sejamos discípulos atentos.

Fl 1,20-24.27 – O Profeta Isaias sustenta a fé do Povo de Israel no poder libertador de Deus; mas, a libertação acontece – primeiro –  no processo de conversão: “Abandone o ímpio o seu caminho (…) volte para o Senhor que terá piedade dele”.

   Mt 20,1-16 – A parábola de Jesus revela uma realidade social: um mundo de desempregados, vítimas da exploração, e, depois, os critérios de valor revelados por Jesus. Escutemos atentamente a proclamação do Evangelho.

3.Reflexão.

  • Como são grandes e incompreensíveis os pensamentos de Deus; eles estão acima de nossos pensamentos como o céu está acima da terra! Deus não se guia pelos critérios da justiça humana, mas pelo amor misericordioso que salva gratuitamente, mesmo àqueles que estão na ociosidade até o fim da vida! A justiça humana guia-se pelo critério do “merecimento e do trabalho”, mas a justiça divina mede-se pelo critério da bondade divina e de sua infinita misericórdia!
  • A salvação (o salário para aos operários) é a graça divina, igual para todos e que, em princípio, não é merecida por ninguém! É mera gratuidade divina, fruto da bondade de Deus. Os operários, da primeira hora, resmungaram porque julgavam ter direitos, por ter trabalhado mais! Mas o patrão recorda que o salário dado por ele é mera gratuidade, fruto de sua bondade! Ninguém de nós merece a salvação! Ela é dom divino, generosidade nascida do coração de nosso Deus.
  • Paulo está preso e pode morrer como mártir, mas escolhe ficar no meio de seu povo na perspectiva de realizar algum bem em favor dele. Estar com Cristo, seria bom demais! Mas, estar com o povo pode continuar fazendo o bem. Escolhe ficar com ele!
  • Quais são as lições que a Palavra de Deus nos dá no dia de hoje? Primeiro, a necessidade de adequar nosso pensamento de Deus e não pretender dominá-lo com nossos argumentos; segundo: a salvação não é obra humana e nem fruto de nosso trabalho, mas é graça divina! Não procuremos forçar a Deus mediante nosso esforço ou virtude! Põe tua confiança no Senhor e serás salvo! Deus concede sua graça aos humildes! Por fim, Paulo não vai ao encontro do martírio (seria bom para ele), mas prolonga seu serviço em favor do Povo que Deus lhe confiou! O amor não pensa em si, mas no outro.

O senhor está perto da pessoa que o invoca”!

 

Frei Carlos Zagonel.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s